Meu Ídolo

Estava eu caminhando pelo aeroporto, enquanto averiguava o capitalismo em alta naquelas lojas caríssimas onde os turistas sempre param ao descer do avião. Um tumulto. Será que o Mcfly ou o Fehrenheit resolveu aparecer por aqui? Saí correndo para a área de desembarque, e lá estava ele, todo cheio de glamour, todo cheio de graça: Nosso presidente Lula.
A questão de ídolo é completamente variável. Posso ver uma atriz caminhando no shopping ou qualquer outro local público e não ir falar com ela, afinal, não a conheço; como também possso vê-la e ir correndo pedir-lhe um autógrafo para mim, minha tia, minha empregada, meu cachorro, e até para o papagaio da minha viznha. Não dá para afirmir que todos temos ídolos, muito menos famosos.
Existem pessoas que têm ídolos, porém conhecidos por poucos, ou só pelos familiares. E se lhe dissesse eu que meu ídolo é Graham Bell? Sim, porque ele inventou o pequeno aparelho que me faz poder conversar e ouvir a voz daqueles que gosto com um simples apertar de teclas. Ou se lhe dissesse eu que meu ídolo é minha avó? A qual passou fome, sofreu no casamento e criou os filhos sozinha e mesmo diante de tantas dificuldades, nunca descontou em nenhuma de suas crianças? Mas poderia eu apenas lhe dizer que tenho vários e diversos ídolos, todos famosos, todos com corpos esculturais e perfeitos, de vários jeitos e desjeitos, mas que nenhum deles sabe sequer que eu existo, ou se eu já fiz questão de os mostrar que exist, sei bem que não fiz muita diferença em suas vidas.
Claro que ouvir uma música, ver um filme, e depois pesquisar sobre aquele cantor ou ator, respectivamente, leva-me a encantar-me diante de tantas coisas bondosas, engraçadas e legais que eles já fizeram. Leva-me a brinca com minhas amigas e dizer que vamos nos esbarrar, diante de tantos outros fãs ele vai se encantar exclusivamente por mim, vamos trocar telefones, namorar, casar, ter filhinhos lindos, filhinhas lindas, divas e purpurinadas e nós ficaremos velhinhos juntos. Eu, uma pessoa normal e ele uma pessoas famosa e desejada por muitas ou muitos, vai saber. Até claro, o celular tocar ou o céu avisar que já é hora de ir, e me despedir daquela conversa de sonhos, entrar no carro ou ir para a parada de ônibus enquanto faço minha viagem expressa para a realidade. Mas cá entre nós, se 10% do que eu sonhei naquela tarde acontecesse, eu aproveitaria? Ô se eu aproveitaria...

- // -

E aeew pessoas *O*
Um estilo diferente de texto hoje. Na verdade, uma crônica, com um estilo mais jornalístico. Escrevi para um site, mas como fugi do tema (já que era pra eu dizer o que faria se meu ídolo estivesse em minha frente, e sinceramente, eu não consigo me imaginar gritando nem algo do tipo...) o texto não foi publicado ;-; *chora horrores* Mas enfim, ele está aqui Muhahahaha!

Espero que tenha ficado bom. Beijos beijos, até mais.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

2 comentários:

♥marii disse...

nhooom,
eu adorei o teu texto lice
devia ter ganhado! =.=

ZiHj disse...

eu amei teu texto! tu escreve tão bem, baleinha *-* te amo ;*

Postar um comentário